Programa nacional de vacinação no Brasil

O mau gosto na boca da opinião pública e das redes sociais em torno da eficácia do programa nacional de vacinação contra a COVID-19 no Brasil e das decisões do governo federal liderado por Jair Bolsonaro.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

A discussão digital sobre o programa nacional de vacinação e a responsabilidade do governo federal no Brasil

Metrics, discussão digital, partes interessadas, tendências, Brasil, programa nacional de vacinação, vacinação, governo federal, Jair Bolsonaro, redes sociais, COVID-19,

Análise da discussão digital mostrando a atividade digital sobre as implicações em torno do programa nacional de vacinação no Brasil, medido de 01 de janeiro a 16 de março de 2021.

Os fatores observados incluem a atividade das partes interessadas e as tendências destacadas na discussão digital. O tratamento da pandemia pela COVID-19, gerenciada pelo governo federal chefiado por Jair Bolsonaro, deixou um mau gosto na boca dos usuários das mídias sociais, principalmente nos dois primeiros meses do ano recente.

A análise das conversas na arena digital mostrou que o governo federal tem uma opinião negativa de 84% contra apenas 16% positiva, que consideram que sua gestão tem sido positiva. O ponto mais alto de comunicação ocorreu em 17 de janeiro, quando a Anvisa deu luz verde para o uso emergencial de vacinas contra a COVID-19, que iniciou a campanha de vacinação.

Os comentários a favor do governo se baseiam em seu compromisso de implementar o plano de vacinação contra a COVID-19, principalmente por causa do esforço feito para obter um maior número de vacinas. Por outro lado, a maioria diz que o plano é insuficiente, argumentando que o número de doses é baixo.

Além disso, juntamente com as deficiências do plano nacional de vacinação, as 250 mil mortes devidas ao vírus (tem sido um dos países mais afetados) ele é apontado como diretamente responsável pelo que seus detratores usam o #ForaBolsonaro, #ImpeachmentBolsonaroUrgente e #BolsonaroGenocida para exigir sua demissão devido a sua má administração da pandemia.

Partes interessadas e tendências na conversação digital

Partes interessadas na conversa digital

  • Anvisa da luz verde para o uso emergencial de vacinas contra COVID-19.
  • Jair Bolsonaro informa a chegada de 2 milhões de doses de vacinas AstraZeneca/Oxford.
  • Mídias anunciam efetividade de Johnson&Johnson de 66%.
  • Mídias informam que o governo formaliza a intenção de comprar 138 milhões de doses de vacinas Pfizer e Janssen.
  • Jair Bolsonaro anuncia novo atraso no início da vacinação.

Destaques a favor

Usuários reconhecem que o presidente tem feito um bom trabalho nos esforços por obter maior quantidade de vacinas para o
país; compartilham declarações emitidas pelo funcionário com relação ao compromisso com a implantação do plano de vacinação contra COVID-19.

Leia também
Aborto en Colombia y la percepción hacia Margarita Cabello

Destaques contra

Usuários responsabilizam o governo pelas mais de 278 mil mortes registradas no Brasil pelo COVID-19; informam que se trata do pior momento da pandemia e questionam a estratégia e prioridades do programa nacional de vacinação; através das hashtags #ForaBolsonaro, #ImpeachmentBolsonaroUrgente e #BolsonaroGenocida exigem a chegada de mais vacinas ao país e demandam o impeachment do mandatário; percebem “muito longe” a recuperação econômica do país enquanto não vacinarem os brasileiros.

Metrics, discussão digital, partes interessadas, tendências, Brasil, programa nacional de vacinação, vacinação, governo federal, Jair Bolsonaro, redes sociais, COVID-19,

Programa nacional de vacinação no Brasil | PDF, 7 páginas. Março 16, 2021